Foda-se!

Eu vivo de uma maneira sofrita actualmente porque tenho uma doença psíquica, posso vir a ter dificuldades de dinheiro e o mundo não está cor-de-rosa. O dia a dia é muito sofrido. Desde que o meu pai morreu que decidi deixar crescer o cabelo, que usei sempre muito curtinho. Passados dois anos e só dois pequenos acertos do cabelo, decidi experimentar fazer rabo de cabalo. Comprei um elástico e quatro ganchas. Esta compra motiva o poema, a meu ver.
Adília Lopes 
Como se faz um poema?
Revista Relâmpago, núm. 14 4/2004 p. 29-30


Comentaris